image

Série televisiva Fronteiras Fluidas

Fronteiras Fluidas é um projeto de série documental com treze episódios que será veiculada em TV’s públicas no Brasil inteiro. O objetivo da série televisiva é formar um olhar do antropoceno a partir da perspectiva indígena. Esse termo antropoceno anuncia a chegada de uma nova era geológica, caracterizada pela ascensão da força humana que, tendo se tornado mais potente do que toda a natureza, se revela capaz de acelerar seus ciclos e ameaçar a vida na terra.

image play

 

A sociedade da ordem e do progresso na qual vivemos alterou por completo o ecossistema planetário. No lugar das florestas, construiu suas cidades; no lugar da natureza, estabeleceu sua cultura; no lugar da memória ancestral, impôs o esquecimento dos seus ensinamentos milenares. Para sobreviver, os índios necessitam transitar entre dois mundos – o dos antigos e o dos brancos, o do sonho e o do ruído, o da saúde e o da doença. Assim, não podem se esquecer do que dizem os mais velhos, mas também precisam assimilar os desafios desses novos tempos dominados pelo império dos napë, ou seja, os forasteiros, entendidos como inimigos ou, simplesmente, brancos.

 

Ao longo de treze episódios com vinte e seis minutos cada, FronteirasFluidas quer filmar o trânsito dos índios entre esses dois mundos, mostrando suas estratégias para resistir contra aquilo que o yanomami Davi Kopenawa chama “a queda do céu”, ou seja, o fim desses nossos tempos.

 

 

 

A fim de formar esse olhar do antropoceno a partir da perspectiva indígena, Fronteiras Fluidas conta com a participação de algumas lideranças originárias de diferentes etnias. São eles: Davi Kopenawa, líder Yanomami; Otoniel e Estér Salina, líderes Guarani-Kaiowá; Paulina Martines, líder Awa-Guarani, Ilson Soares líder Guarani M’bya;  David Martim, líder Guarani M’bya; Sônia Guajajara, líder Guajajara e Ailton Krenak, um embaixador do movimento indígena brasileiro.

 

paulina